Visita de estudo em comboio trouxe mil alunos e professores de Vila Meã às Caldas da Rainha

2
1018

O Externato de Vila Meã alugou um comboio especial para realizar uma viagem de estudo – que decorreu na passada sexta-feira, 4 de Junho – desde aquela vila do concelho de Amarante até às Caldas da Rainha. No comboio viajaram 1050 alunos, professores e funcionários que visitaram o Parque D. Carlos I e os museus em seu redor.
Trata-se de uma iniciativa que aquele estabelecimento de ensino privado (mas com contrato com o Ministério da Educação para o ensino público, tal como acontece com o Colégio Rainha D. Leonor) leva a cabo desde há 13 anos – a realização de um passeio em comboio que ocupe o dia todo.
Os destinos têm sido vários e entre eles contam-se Figueira da Foz (por duas vezes),  Lisboa (uma vez ao Parque das Nações e outra ao Jardim Zoológico), Sintra, Tomar, Coimbra, Valença, entre outros.
“Desta vez foi as Caldas da Rainha até por sugestão da própria CP com quem combinamos as nossas viagens”, disse à Gazeta das Caldas, António Oliveira, da direcção do Externato de Vila Meã.
Aquele docente diz que, sendo clientes habituais da CP, até já têm um pequeno desconto e elogiou o grande apoio que a empresa pública dá a estas iniciativas, tentando facilitar ao máximo as viagens que organizam. “Nesse aspecto a CP funciona bastante bem”, disse, estendendo o elogio às autarquias, incluindo a das Caldas, pela ajuda prestada durante a realização da visita. Aliás, uma pequena delegação foi recebida na Câmara pelo vereador Hugo Oliveira.
Para esta viagem, o comboio saiu de Vila Meã às 6h40 e chegou às Caldas da Rainha às 11h10, tendo partido depois às 17h40 para chegar ao ponto de partida às 22h30.
Cansativo? Nem por isso. António Oliveira diz que os jovens adoram estas viagens. “Quantos mais quilómetros, melhor para eles, que gostam de percorrer o comboio e de conviver uns com os outros”, disse. Lamenta, no entanto, que a CP já não faça estas viagens com comboios de  máquina e carruagens pois isso permitia aos alunos movimentarem-se em toda a composição. Desta vez foram três UTD (Unidades Triplas Diesel) acopladas que fizeram a viagem, ficando o grupo partido em três partes ao longo de três automotoras de três veículos.
Às Caldas vieram 950 alunos (do 5º ao 12º ano) e 100 professores e funcionários, tendo cada participante pago 12 euros. Ao externato, o aluguer do comboio custou 10.800 euros.

“Em frente para o Vivaci e à esquerda para o Parque de Merendas”

“Se querem ver o Centro Comercial Vivaci sigam em frente, se quiserem o parque de Merendas, virem aqui à direita”. Foi com estas palavras que a larga comitiva do concelho de Amarante foi recebida por um dos seguranças do Parque D. Carlos I, após ter atravessado e elogiado o Céu de Vidro, na ex-casa da Cultura.
As centenas de jovens, acompanhados por professores e funcionários, chamaram a atenção das pessoas da cidade enquanto fizeram o percurso da estação ferroviária até ao Parque durante a manhã de sexta-feira. Passaram pelo coração da cidade e foram muitos os lojistas que vieram à porta ver o que se passava com tamanha romaria de gente.
“É sempre assim quando chegamos às cidades que vamos visitar. Suscitamos sempre grande curiosidade”, disse Gabriela Almeida, professora de Matemática que tem acompanhado estas visitas, de comboio, nos últimos 13 anos.
Normalmente nestas excursões vem um professor com cada turma e depois há sempre mais alguns que “dão uma mão sobretudo por causa dos alunos mais novos”, explicou a docente. E se os mais velhos já vão visitar os museus e a cidade em pequenos grupos, de forma autónoma, os mais novos ficam com os professores. Estes, desta vez, “pediram para ficar a jogar à bola no parque”.
Rafael Ferreira, de 12 anos, diz que “é sempre um espectáculo a visita final do ano que fazemos de comboio”. E refere outras de que também gostou muito, como foi o caso das visitas à Figueira da Foz e a Tomar.
E o que mais gosta este jovem neste tipo de iniciativa? “De estarmos todos juntos, de jogar futebol e também de fazer a viagem”, concluiu o aluno que no futuro quer ser jogador de futebol.
Já Bruna Sousa, de 13 anos, valoriza o “poder passear” e quando chegou ao Parque D. Carlos I classificou as Caldas como uma cidade “bonita”. Os dois alunos do 7º ano, em conjunto com a sua turma, almoçaram em piquenique no Parque das Merendas.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu sou do externato de vila mea,e fico muito contente de ter visto este artigo no jornal.
    Espero voltar a caldas da rainha daqui a uns anos, porque gostei muito de la estar.
    Muito obrigada.

  2. A cidade, em si, é dotada de uma grande beleza. Contudo, há que salientar a falta de segurança da cidade um vez que um grupo de alunos do externato foram alvo de assalto em pleno parque. Este assalto foi levado a cabo por um grupo de jovens das Caldas que inclusive agrediram um estudante e furtaram um telemóvel. Contudo o telemóvel foi recuperado com o auxílio de um segurança do parque que foi alertado por alunos que viram o incidente. É de lamentar esta falta de segurança quando o intuito de um passeio é andar a vontade e desfrutar da cidade. Saudações Zeferino Artur