Rede Leonardo defende esterilização de animais abandonados

1
278

Nos meses de Verão o número de animais abandonados aumenta porque estes ou estão demasiado grandes para serem levados de férias, ou porque os donos já não têm um local para os deixar durante os dias que vão passar fora. O problema é maior quando os animais procriam e o número volta a aumentar.

Um grupo de amigas propôs-se encarar esta situação de frente e criou a Rede Leonardo destinada a prevenir a reprodução dos animais abandonados. Carla Soares e Fernanda Nazaré são voluntárias no canil municipal das Caldas e dizem que este é um projecto que procura evoluir para uma associação de defesa de animais abandonados.
De momento a principal iniciativa é a sensibilização dos donos de animais e pessoas que venham a adoptá-los para procederem à esterilização. “As pessoas acabam por não adoptar os animais dos canis porque já têm uma cria que lhes foi dada por algum amigo”, diz Carla Soares. “Há muitos animais e queremos fazer um controlo de população.”
Ela própria tem 17 animais abrigados em sua casa e a sua colega, Fernanda Nazaré, tem 30.
A Rede Leonardo, que sobrevive do dinheiro vindo directamente do rendimento voluntárias, não esteriliza apenas os animais que já encontraram um lar ou que estão no canil. Tem um protocolo com veterinários das Caldas e de Torres Vedras, onde levam os animais para serem esterilizados. Têm ainda um asilo para gatas em recuperação.
“O controlo dos animais de rua é um dever nosso, já que não há entidades que o façam. Não custa assim tanto esterelizar a gata da rua que passa a vida a ter crias.”, diz Carla Soares.
A Rede Leonardo é assim chamada em homenagem a Leonardo da Vinci, que proferiu as palavras que servem de lema para o grupo: “Haverá um dia, em que o homem conhecerá o íntimo dos animais. Neste dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade”.
Este grupo possui também um sítio no Facebook, onde colocam informações sobre animais desaparecidos, que estão no canil e prontos para a adopção, e ainda outros em risco de abate.
No município caldense existe também – de forma mais organizada e com maior visibilidade – a Caldas da Rainha Associação Protectora dos Animais Abandonados (CRAPAA) que também se esforça para, segundo o seu site na Internet, “dar abrigo, alimento, cuidados veterinários e carinho” aos animais que possuem no seu canil até serem adoptados.
A sua actividade mais conhecida é a campanha semanal (ao sábado) na rua das Montras (entre as 10h00 e as 14h00) onde as pessoas que ali passam podem adoptar animais, comprar pequenas lembranças ou simplesmente fazer um donativo para a associação.

Marina Araújo
[email protected]

1 COMENTÁRIO